Print Friendly, PDF & Email

O que são trackers e como eles permitem vigiar sua navegação na internet.

Apolônio Silva estava pesquisando preço de uma TV de tela plana de 42″, queria fazer uma surpresa para a esposa. Chegou a ver preço, comparar diversas lojas, ler análise de marcas e modelos, fez uma pesquisa em profundidade.

A noite Apolônio resolveu ver as novidades de seus amigos e parentes no “Face”, assim que ele entrou apareceu uma publicidade no lado direito da tela justamente da TV que ele mais havia gostado. Apolônio pulou da cadeira e desconfiado começou a olhar em volta para ver se tinha alguma câmera, ou se seu filho Junior estava olhando por cima do seu ombro, depois voltou sua atenção para o computador, tapou a câmera e o microfone, olhou para o espelho atrás dele e falou baixinho:

-Quero ver agora como é que você vai vigiar minha tela seu hacker danado!

Sentindo-se mais seguro, “danou” a pesquisar sobre preço de passagem para Paris, no fim do ano iria com a família visitar a cidade luz. Com os valores em mão, seguiu vendo preço de hotel, montou sua planilha de custos e depois de tudo foi pesquisar sobre assuntos de trabalho, e começou a perceber publicidade de pacotes de viagem para Paris, um frio subiu a sua espinha, aquela sensação de quem teve sua privacidade invadida, outro site e outra publicidade semelhante, já nervoso desiste de tudo e vai dar uma relaxadinha no “Face” e no meio das postagens da linha do tempo surge a sugestão para ele curtir a página do Museu do Louvre, ele curte sem pestanejar e lá está novamente a publicidade de hotéis com preços promocionais para Paris… Apolônio pula da cadeira, e com o coração batendo na boca grita:

-Junior! Vem cá meu filho, tem um hacker no meu computador! Se não é um hacker é magia, o danado parece que esta lendo a minha mente!

Junior é o filho descolado e nerd do Apolônio, sabe tudo de computador este menino.

Junior vai em socorro do pai, que o explica tudo que aconteceu. Com um sorriso de superioridade e certa compaixão explica ao pai que não é hacker e nem magia, mas sim tecnologia. Junior parou, pensou, organizou as idéias, com calma, afinal precisaria explicar ao pai o que eram cookies, tracker e remarketing… Ele respira fundo e começa pelos Cookies..

O que é um cookie?

Imagine que existam “diálogos invisíveis” na Internet, então quando você digita http://site.com no seu navegador de Internet este diálogo se inicia. Junior fez um diagrama no papel e começou a simular o diálogo invisível.

Diagrama de troca de dados para acesso à um site na Internet

-Olá http://site.com (212.231.184.17) ! Eu sou o 182.891.321.12, dispositivo Mac OS X 10.12, com navegador Chrome/49, suportando text/html, idiomas pt_BR e en_US, e outros parangolés que te enviei. Gostaria que você me enviasse a sua página inicial.

-Pois não 182.891.321.12, você poderia me enviar o meu cookie?

-Olha 212.231.184.17, não tem cookie seu nenhum aqui não.

-Perfeito 182.891.321.12, segue nossa página sem customização, aproveita e grava “20190423:18:18:34”; “A12F5B” no meu cookie, assim na próxima vez enviaremos uma página mais personalizada.

Apolônio atento a explicação de seu filho, fica imaginando esta conversa inusitada.

Junior faz um pausa no “dialogo invisível” e explica o que são cookies. Cookies são pequenos arquivos que comportam apenas 4Kb de dados, e cada site da Internet pode gravar e ler somente o seu cookie. Este dialogo inicial entre o navegador de Internet e o servidor do site chama-se “handshake” (aperto de mão). Os números estranhos (182.891.321.12 e 212.231.184.17) são respectivamente o IP do usuário e do endereço http://site.com.

Cada vez que você acessa a Internet com seu computador, tablet ou smartphone, ou melhor, com o dispositivo de acesso, você ganha um número de IP.

Entendeu agora o que são os cookies? São pequenos arquivos de dados que os sites gravam no seu computador. Na verdade ao acessar o site, ele pede para ler o cookie, se ele não existir, será criado, se existir o site pode ler e gravar. Geralmente os cookies possuem dados como um código gerado pelo site para saber que você é você, mas não necessariamente quem é você. Ou melhor ele sabe que o dispositivo acessou o site, mas só vai saber quem é o dono do dispositivo quando houver uma identificação positiva.

Apolônio segue hipnotizado e cheio de orgulho de seu menino, e imaginando onde raios ele quer chegar com este papo de cookie.

Junior prossegue…

-Você lembra que o http://site.com mandou gravar “20190423:18:18:34”; “A12F5B” no cookie dele? Então, o primeiro bloco é uma estampa de tempo (timestamp), observe que começa com 2019 seguido do mês e dia, hora minuto e segundo, já o código A12F5B é um identificador único criado para que o site.com saiba quem é você, ou melhor o seu computador.

-Nem todos os sites fazem isto, mas vamos supor que o site.com ao criar o seu identificador A12F5B, também criou uma entrada no banco de dados dele com este identificador, e a partir dai, cada vez que você navega nele, ele registra as páginas que visitou com dia e hora.

-Outra coisa! Cada domínio só tem acesso ao seu próprio cookie, assim http://site.com não tem acesso ao cookie de http://outrosite.com e vice versa.

Apolônio suspira aliviado…. Mas continua sem entender porque raios as coisas que ele vê em outros sites aparecem para ele como propaganda..

Junior percebendo a ansiedade do pai, mas certo que ele esta compreendendo sua explicação, acrescenta alguns detalhes ao primeiro desenho.

Diagrama de troca de dados para acesso à um site na Internet, com tracker

-Você reparou que eu coloquei mais uma conversa invisível (handshake) mas também coloquei um anuncio vindo de http://anuncio.com? Agora você vai entender como te vigiam.

Quando o dono do http://site.com insere um anuncio de http://anuncio.com ele precisa inserir um código especial. Este código vai carregar o anuncio publicado por anuncio.com. Mas ao fazer isto o dono do site.com abre uma janela para o anuncio.com bisbilhotar no site dele, por isto existem dois handshakes.

Só que tem um detalhe importante, quando o anuncio.com faz o handshake, ele sabe qual site esta exibindo o anuncio, e o script consegue obter todo o conteúdo de cada página que você visite no site.com. Agora deixa eu te mostrar a mágica completa. Junior então desenha um novo diagrama, agora com três sites: site.com, loja.com e viagem.com, e explica que o conteúdo de baixo com os cookies estão no computador, representado pela linha pontilhada.

Como funciona o tracker

Vamos supor que inicialmente você visite a loja.com, e lá pesquise sobre TV de 42 polegadas, e ao encontrar a que procura, gasta mais tempo lendo as informações e especificações. O script do anuncio.com esta registrando tudo isto, inclusive que você gastou mais tempo nesta página específica, sugerindo assim seu interesse pelo produto exibido.

Algum tempo depois você resolve acessar o site.com e depara com uma propaganda da TV que gostou, não é mágica, o script de anuncio.com identificou que você tem interesse nesta TV, e exibiu um anuncio para você. Você deve estar se perguntando como o anuncio.com sabe que você que visitou a loja.com é a mesma pessoa que visitou o site.com depois?

Apolônio balança a cabeça assertivamente…

Repare no diagrama que site.com, loja.com e viagem.com acessam seus próprios cookies e que diferente deles, o anuncio.com acessa o seu próprio cookie na sua exibição a partir dos três sites (setas vermelhas). O cookie de anuncio.com é um só, mas a partir do script inserido em cada site, ele pode identificar o que você fez em cada um dele, e registrar em um banco de dados, se você mudar de site, e tiver um script do anuncio.com nele, ele também poderá registrar sua atividade por lá, por isto este cookie ganha um nome especial de “tracker“, porque através deste artifício ele pode rastrear sua navegação na Internet.

Se você tivesse visitado o viagem.com e pesquisado algum roteiro, certamente veria publicidade deste roteiro, a magica é simples, só precisa entender. Mas tem um pequeno detalhe.

Pronto! Pensou Apolônio, agora que eu estava entendendo…

Muitos sites de comércio eletrônico contratam um serviço chamado remarketing, que é exatamente o que acabei de explicar, ou seja, tenta resgatar o cliente que esteve pesquisando um produto e o abandonou.

Por fim, não são somente sites de publicidade como o Google Adsense que usam trackers, existe uma infinidade deles, o Facebook por exemplo faz isto. Sabe aquele botão para curtir a página do site no Facebook? O script para exibir aquele botão faz o mesmo papel do tracker. E tem trackers invisíveis, os chamados pixels, que são scipts inseridos que exibem uma imagem de 1 pixel, praticamente invisível, isto porque a operação do handshake funciona quando algum dados é enviado do site, neste caso, o pixel.

Apolônio admirado agradece o filho, sentindo um orgulho danado do garoto….


João Carlos Rebello Caribé

Mestrando em Ciência da Informação pela UFRJ (PPGCI), turma de 2017. Membro do Laboratório em Rede de Humanidades Digitais (LarHud) e do Estudos Críticos em Informação, Tecnologia e Organização Social (Escritos).

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.